Campanha Chega de Fiu Fiu.

       
    Desde quando comecei meu estágio, em maio, já mudei o caminho até ele várias vezes. Moro perto. Vou andando. tenho três opções de rua, mas desde junho faço o mesmo caminho porque não aguentei olhares e cantadas. Ninguém é obrigado!


    Variava o caminho para não enjoar, mas eu só me estressava e me sentia invadida. Já ouvi de tudo. Já respondi de várias maneiras, mas o medo de passar pelos dois caminhos restantes aumentou muito porque eram os mesmos caras que "mexiam" comigo. Eu já sabia que eles iam soltar alguma besteira e eles já sabiam que eu responderia. Mas no dia que ouvi um "não deve ter namorado", vulgo mal comida, e "o cavalo mordeu tua cabeça?" decidi ir por uma rua mais deserta.

Queriam "comer" há um segundo e agora não querem mais? BABACAS!

    Aí outro medo surgiu: o de ser assaltada. A rua é deserta porque um shopping e uma fábrica ocupam o quarteirão inteiro. Apesar disso, mesmo sendo contraditório, me sinto mais segura indo por esse caminho. Quando passo, todo dia, tem sempre um segurança do shopping, não sei se o mesmo, a postos. Ele me olha, mas ele não abre a boca pra nada.

Faço parte de uma minoria que responde aos assédios.  :(    

    Quando conto que precisei mudar de caminho para não ouvir nem receber olhares, dizem que é besteira minha, frescura, que preciso ignorar, que não posso responder e, por último e pior, "é que homem é assim mesmo". Isso me dá raiva!
    

*o texto acima é de minha autoria. Só intercalei com resultados da pesquisa Chega de Fiu Fiu (clique para ver).




    "Ninguém deveria ter medo de caminhar pelas ruas simplesmente por ser mulher. Mas infelizmente isso é algo que acontece todos os dias. E é um problema invisível. Pouco se discute e quase nada se sabe sobre o tamanho e a natureza do problema." É assim que a jornalista Juliana de Faria inicia o texto do resultado da pesquisa. Esta que foi elaborada pela Jornalista Karin HueckChega de Fiu Fiu é uma campanha contra o assédio sexual. Eu não sei se vocês já sofreram com algo parecido, mas eu sempre sofro.
    Até quando vou precisar mudar de caminho pra não sofrer assédio? Por que os homens acham que têm o direito de expor seus pensamentos e desejos dessa forma? 
    Mostre que você tem voz e não aceita esse tipo de coisa! Não somos "mal comidas" nem deixamos de gostar de sexo por causa disso.
    Textos complementares: Não Me Chame de Gostosa, Campanha Chega de Fiu Fiu.

    E vocês, já sofreram algum tipo de assédio? Apóiam a campanha? Me contem!

Share this:

, ,

CONVERSATION

3 deixaram opinião:

  1. Eu também me sinto muito incomodada com esses abusos. Mas faço parte do percentual de mulheres que não responde. Porque tenho muito medo! Medo de ser perseguida, de ser xingada, enfim... Acho um absurdo a gente ter que mudar de caminho, mudar de roupa, mudar de horário, mudar tudo porque tem imbecis que não mudam a falta de respeito deles. E o pior: tudo isso é aceito, é visto como normal. Anormal (segundo a nossa linda sociedade) é uma menina se sentir a vontade pra sair de shorts na rua. "Essa merece ouvir mesmo, tá pedindo". Obrigada por esse post, Camila! Me sinto muito feliz cada vez que alguém levanta esse debate. Quem sabe, assim, as coisas acabem mudando... Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que alguém me entende. <3
      Jonara, eu respondo mesmo quando tô com medo, mas claro que algumas vezes os riscos são maiores, então me contenho.

      Excluir
  2. Não há nada mais repugnante do que as atitudes que a sociedade julga "masculina". Acho extremamente desnecessário assobios, cantadas e qualquer tipo de coisa que invada o ser humano.
    Inteligência e bom humor é tão mais bonito e interessante do que um 'e aí,gostosa?'.

    beijos
    http://jurodemindinho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir