Análise gráfica de A REVOLUÇÃO DOS BICHOS, George Orwell.

Hoje eu inicio um novo tópico na seção de livros, falarei sobre um assunto que eu tenho mais conhecimento para discutir. O novo tópico é a análise do design dos livros, discutindo desde fatos conhecidos sobre a edição até as possibilidades de ideias que o designer gráfico/artista pode ter trabalhado no projeto gráfico.



Minha primeira análise é sobre o livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell, uma aquisição recente minha. Eu comprei a primeira edição da editora Companhia Das Letras.

A Revolução dos Bichos fala sobre a Granja do Solar, propriedade do Sr.Jones, que depois da insatisfação dos animais com seu modo de vida sofre uma revolução e então é instaurado o Animalismo, regime cujo qual todos os animais são iguais e os humanos são seus inimigos. Porém não demora muito para que os animais mais inteligentes tomem conta do poder.

O primeiro ponto interessante a comentar é a escolha da capa para o livro. A revolução dos Bichos, como outras obras de distopia, trabalha fortemente a relação de uma sociedade com uma forma de governo, nesse caso um governo totalitário. E nesse momento a gente se pergunta porquê é tão difícil de perceber a realidade de miséria e se rebelar contra o governo,nesse momento nós recebemos uma avalanche de fatos sobre as formas de controle da sociedade, desde o líder criando uma imagem de herói “nacional” até o seu capacho com uma capacidade inata de discursar, sendo capaz de convencer qualquer pessoa. Há uma palavra chave que conecta todas essas formas de controle e ela é a ilusão, que é bem representada na capa pelo efeito das cores, que se você olhar bem de perto são pontos próximos uns aos outros. O nome desse efeito é quadricromia e consiste em uma malha reticulada (com “pontinhos”), que apresentam retículas em 4 cores, assim, quando a pessoa observa a malha de uma certa distância seu olho cria uma ilusão de óptica e não percebe os pontos, mas uma imagem com definição e uma gama de cores maior que as quatro presentes nas retículas. O porco (classe que governa a granja) presente na capa, em preto e branco, afirma a dualidade entre a realidade “monocromática” e o que é percebido pelos demais seres que vivem no local, uma realidade “policromática”.


Imagem do blog Universe for Words
Há no livro algumas páginas que têm como objetivo dividir o conteúdo, e elas estão dispostas no início e no apêndice. Elas apresentam um efeito de retícula semelhante ao da capa, mas em monocromia. O efeito forma um dégradée do branco para o preto e além de indicar a mudança do conteúdo no livro, pode representar outra dualidade presente no conceito da revolução dos bichos, seria essa mudança de branco para preto a mudança do governo de Jones para o governo dos porcos?

A tipografia apresentada na capa e nas primeiras páginas sugere uma informalidade, descuido e inexperiência na escrita. É um tipo sem serifa, com variações de peso (“grossura do traço”) e toda escrita em capitulares, lembrando uma impressão em xilogravura, como se tivessem feito uma matriz raspando a madeira e depois impresso no livro. A justificativa pra essa escolha pode estar no próprio livro, ao declararem o Animalismo como regra vigente na granja, os porcos (iniciantes na habilidade da escrita) logo se encarregaram de criar os mandamentos da nova sociedade, gravando-os na parede final do estábulo para todos os animais verem. Tudo indica que quem projetou a capa se inspirou neste momento da história para criar um conceito para a tipografia.

Sobre as cores presentes nessa edição, percebe-se que há uma predominância das cores amarelo e vermelho, que além de serem cores fortes, indicando a participação massificada e intensa dos membros da granja na revolução, representam a bandeira do socialismo russo, objeto que serve como analogia à sátira de George Orwell.

Aos que ainda não leram A Revolução dos Bichos, fica a dica para uma leitura atual, profunda e com um background histórico mais do que interessante, ainda com as ideias da concepção gráfica para compreender melhor a história. Aos que já leram, é interessante trocar idéias sobre o que foi explorado no texto e aguçar o sentido visual para analisar livros pelo projeto gráfico. Comente! :)

Share this:

CONVERSATION

0 deixaram opinião:

Postar um comentário